Sanfoneiro pernambucano Camarão morre aos 74 anos

camarão site

camarão site
Mestre da sanfona, ele tinha sido nomeado Patrimônio Vivo de Pernambuco – Morreu na manhã desta terça-feira (21), aos 74 anos, Reginaldo Alves Ferreira, mais conhecido como Camarão, um dos maiores mestres sanfoneiros de Pernambuco. De acordo a família do artista, Camarão estava internado há seis dias no Hospital Santa Joana, no bairro do Derby, área central do Recife, onde tratava uma infecção intestinal. O velório acontece na Câmara Municipal do Recife. De lá, na manhã desta quarta, o corpo será levado para Caruaru, no Agreste do estado, onde o enterro acontece na quarta (22), às 14h, no Cemitério Dom Bosco.

Salatiel, filho de Camarão, informou ao G1 que o pai era paciente renal e sentiu-se mal na última segunda-feira (13). “Ele fez uma consulta, passaram medicação e ele voltou para casa. Na quarta [15], foi fazer hemodiálise na Unimed, e a médica indicou que ele fosse internado. Na quinta [16], ele deu entrada na UTI do Santa Joana, onde descobriram que umas feridas no intestino grosso provocaram uma infecção instestinal. Agora de manhã, ele ia fazer hemodiálise, mas a pressão dele baixou muito, e o coração não resistiu”, contou.

O corpo de Camarão chegou à Câmara pouco antes das 19h. Os sanfoneiros Cezzinha, Beto Hortis e Ítalo Costa homenagearam o mestre, tocando durante a cerimônia. Outros artistas, como Cristina Amaral e Geraldinho Lins, também estiveram no plenário, para dar apoio à família. A saída para Caruaru está prevista para as 9h. Na cidade, também haverá um curto velório na Câmara de Vereadores, antes do sepultamento.

Trajetória

A página da Fundaj dedicada ao Mestre Camarão informa que ele aprendeu a tocar sanfona observando os movimentos do pai, o sanfoneiro Antônio Neto, e se aperfeiçoou ouvindo Luiz Gonzaga e estudando os métodos de Mário Mascarenhas. Iniciou a carreira artística em Caruaru, onde tocava nas feiras e festas da região.

Aos 18 anos, conheceu Luiz Gonzaga, com quem participou de 28 gravações, entre discos long plays,78 rotações e CDs. Camarão formou com os músicos Jacinto Silva e Ivanildo Leite seu primeiro conjunto musical, o Trio Nortista e, em 1968, criou a primeira banda de forró do Brasil, a Banda do Camarão, e ainda a Orquestra Sanfônica de Caruaru.

Seu repertório era composto por ritmos regionais como o xote, o xaxado, o baião, o forró e o arrasta-pé. Mestre Camarão costumava a acompanhar grandes nomes da música nordestina, como Dominguinhos, Santanna, Marinês, entre outros.

Em 1961, representou Pernambuco junto com o mestre Vitalino no primeiro aniversário de Brasília, a convite do então presidente da República, Jânio Quadros. Em 2002, foi a São Paulo apresentar-se no projeto Sanfona Brasil. Em 2004, participou do projeto O Brasil da Sanfona.

A produção do programa Cantos & Contos lamenta profundamente mais essa perda imensa para a cultura nordestina.

E lá se foi Camarão tocar com o Rei do Baião!

Spread the love